Escolha um bom Fusca com o Clube Sede do Fusca Sport Car

Escolher um Fusca, assim como qualquer outro carro usado, não é tão fácil quanto parece.

O Fusca em especial não acompanha tabela de preços, como se diz por ai, fusca não é ano, é estado. E na prática é o que veremos. Primeiro você tem que saber o que você quer comprar: um carro original, pouco rodado, um carro mexido, um carro pra restaurar... cada caso é um caso. Como você disse que quer um carro pra uso diário, você vai prestar atenção logo de cara na mecânica.

Dê uma volta com o carro, exija um pouco dele, veja se ele responde tanto para andar quanto para parar. Veja se a direção é segura, se o carro não faz muito barulho de coisa solta. Se você não puder avaliar o estado do carro em detalhes, leve a algum mecânico de confiança. Veja a parte elétrica, se está muito mexida, com emendas de fios, fios soltos ou descascados. Veja se o chicote que vai pra parte de trás está bom, bem como, o funcionamento da chave de setas, luzes, tudo.

Uma geral na lataria é essencial. Procure por ondulações, que podem significar massa ou amassados. Veja se as portas fecham direito, sem fazer força, e se ficam alinhadas com o resto do carro. Veja a frente, se está alinhada, com a curva do capô e a carroceria iguais. Idem para tampa do motor e saia.

Veja embaixo, se o assoalho não está muito amassado ou ralado. Veja perto da suspensão dianteira se não tem trincas ou marcas de solda. Essas coisas indicam que o carro já foi rebaixado e sofreu maus tratos.

Um teste para saber se existe massa na lata: arrume um imã pequeno, e vá até onde você desconfia que tenha massa e coloque o imã na lata: se ficar grudado tem muito pouca ou não tem massa. Se cair, bingo! você achou uma "pizza". Desconfie de carros recém-pintados. Você pode ter surpresas, caso alguém tenha pintado o carro em cima da ferrugem, pra vender.

Olhe o numero do chassi, se não tem nada de estanho nele ou ao redor dele. Esse número fica no túnel do carro, ao lado da bateria, que fica embaixo do banco de trás. Quanto à documentação, nem precisa falar. Todo cuidado é pouco.

Pontos críticos na lata do Fusca, onde enferruja mais:

Embaixo das portas e nas caixas de ar.
Nos assoalhos e emendas assoalho/túnel
No capô, na dobra dele onde encosta com a carroceria.
Caixa de estepe (quase sempre fatal)
Portas, na calha interna do quebra vento (costumam apodrecer até sumir).
Chapéu de Napoleão
Furos dos grampos dos frisos (é por ai que entra água e tudo começa)

Motor:

Ver folgas na polia do virabrequim
Polia do dínamo/alternador torta e com folga
Cabeçotes soltos
Vazamento de óleo na carcaça, embaixo.
Válvulas desreguladas

O resto no motor não é crítico. Faça um teste de compressão no motor, com o carro desligado, engate a segunda e solte os freios. O carro deve ficar parado, se andar é sinal de que vaza compressão nos cilindros, o que pode ser fácil de arrumar ou não (um mecânico pode te falar isso).

Suspensão/direção (pontos críticos):

Folgas nos rolamentos das rodas da frente
Folgas no pivô (suspensão dianteira
Folga excessiva na caixa de direção
Suspensão traseira ruim, o carro fica mais baixo em um lado do que do outro, ou a traseira muito mais baixa que a dianteira.

Com essas coisas a serem vistas, sua segurança e diversão com seu Fusca estarão garantidas. Mesmo se gostar do carro, se tiver alguma dúvida, não compre. Os reparos em um Fusca são fáceis e baratos, se comparados com outros carros. Na emergência, qualquer um consegue dar um jeitinho e ir pra casa.

Clube Sede do Fusca Sport Car
Rua da Paz, 27, Cariacica Sede, Cariacica-ES, CEP 29156-066
Roberto (Beto) - (27)3322-4483 / 9906-7093
Tiago - (27) 9947-0033
www.clubesededofusca.com.br

Fonte: Clube Sede do Fusca Sport Car


Compartilhar no Twitter Compartilhar no Orkut Compartilhar no Facebook Resultados no Bing Resultados no Google RSS Feeds
  2003-2014 © AR2 Respirando Internet